MENTE

11/03/2015
Preocupação

O termo preocupação traz em si um significado que pode ser facilmente apreendido pela decomposição da palavra: pré-ocupação. Preocupar-se significa basicamente se ocupar de um assunto previamente à sua ocorrência. Assim, toda vez que estamos tentando imaginar como um determinado evento ocorrerá no futuro, estamos nos preocupando.

A habilidade de prever e planejar o futuro faz parte do pacote de capacidades que nos fazem humanos. Você imagina algum animal planejando o que vai fazer amanhã? Este grande passo evolutivo do cérebro humano nos permitiu avançar imensamente em diversos aspectos da civilização, desde a previsão de mudanças climáticas, até a organização de planos complexos como a construção de uma casa, que precisa ser executada em passos consecutivos, a cada dia.

Agora imagine a seguinte questão: se eu consigo antecipar que algo pode dar errado no meu plano ou que alguma catástrofe pode acontecer e penso antecipadamente numa solução, isso aumenta as minhas chances de sobreviver, não é mesmo?

Dessa forma, sobreviveram e deixaram descendentes os humanos mais preocupados e precavidos. Assim, todos herdamos um enorme viés negativista: quando pensamos no futuro, tendemos a focalizar todos os possíveis obstáculos e dificuldades, em detrimento dos desfechos positivos.

Somos verdadeiros radares detectores de catástrofes! Pouco provavelmente gastamos tempo pensando nas coisas boas que podem ocorrer no futuro, mas frequentemente somos surpreendidos por preocupações acerca de cenários negativos.

A preocupação transporta para o momento presente uma ameaça que pode vir a ocorrer no futuro e faz o corpo reagir a ela como se esta estivesse acontecendo bem na nossa frente. Ao pensarmos nela, sentimos um desconforto que nos impele a nos precaver. Se não ocorrer, ótimo. Foi apenas um alarme falso! Agora imagine essa nossa característica no mundo moderno... milhares de preocupações e ameaças que nem chegaram a acontecer povoando nossos pensamentos durante grande parte do dia. Estresse na certa! Por isso, a preocupação é o principal mecanismo indutor de estresse e ansiedade nos dias atuais.

Uma maneira cientificamente comprovada de atenuar esse mecanismo é, ao se perceber muito ansioso, tentar trazer o foco da atenção para o momento presente. Essa é a lógica que embasa a maior parte das técnicas de meditação, por exemplo. Ao focalizarmos o presente, observamos a inexistência dessas ameaças. E conseguimos nos acalmar e refletir com mais clareza sobre as possibilidades futuras.

Na vida cotidiana, ao se perceber ansioso com a reunião que ocorrerá amanhã, redirecione sua atenção para o ambiente à sua volta, para o que está de fato ocorrendo naquele momento, para suas sensações físicas. Há algo que você possa fazer para diminuir a ameaça prevista para amanhã? Se sim, faça. Se não... não adianta sofrer de véspera!

Dra. Aline Sardinha - Psicóloga clínica e coach (CRP/05:34.146)


COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS
Nome: Mensagem:
E-mail:
Informe esse número ao lado:
trocar imagem